segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Errante

O rosto esfregado,
A alma inerte,
O corpo nu, mais uma vez.

A escuridão é pouca,
Mas não por muito;
É questão de tempo mesmo até
Que eu perca a visão.

Contudo, quem precisa ver
Quando nada precisa ser visto?

Simples franquezas acarretam
Simples resultados.
Simples assim, como a escuridão.


Lino Pedro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário